domingo, 31 de maio de 2015

PELO AMOR



Pelo meu amor quero lutar, e tanto, até cansar,  que o amor seja o caminho! Tanto quanto até parar.
Nas noites de solidão, nele pensar e tanto quanto amar, até à morte chegar.
Pelo seu amor quero viver, e tanto quanto for possível e tanto quanto puder.
Sua música quero ouvir, e tanto quanto os sons forem audíveis e estiver a tocar.
Na sua vida quero estar, tanto quanto vida eu tiver. E direi. Quantas vezes for preciso dizer. Quantas vezes for necessário falar!

  Bjokas no coração!

terça-feira, 5 de maio de 2015

SONHOS DE CRIANÇA



Neste dia das mães que se aproxima, quero deixar uma postagem para reflexão! Registrando em poema uma infância ferida. Também quero parabenizar as mães que criam seus filhos com amor e dedicação. Estas merecem todas as homenagens!

FELIZ DIA DAS MÃES A TODAS AS MÃES DO MUNDO!

FELIZ DIA DAS MÃES,  À MINHA MÃE!




SONHOS DE CRIANÇA

Ai, quero  lembrar sem lágrimas.
Toda uma época esquecida,
Guardada no baú do tempo,
Na minha infância perdida.

Nos meus sonhos de menina,
Inocência de criança pobre.
Sonhadora de boneca linda!
Boneca de menina nobre.

Segredos de Papai Noel...
Destruiu sonhos inocentes.
Não!... Não é o papai Noel...
É o seu pai, que dá presentes!

Minha cartinha listrada...
No lixo foi arremessada.
Ficando na minha cara,
Toda a surpresa estampada.

A boneca? Eu ganhei.
Linda e descabelada!
Do lixo da menina fina...
A mim, foi presenteada.

A ela, eu abraçei...
Inocente e apaixonada!
E novas pernas ela ganhou,
Por minha avó remodelada.

Ai,  minha infância perdida!
Cicatrizes que se foram embora.
Desertadas no tempo. Escondidas!
Da vida, por aí a fora...                 

Ah!... Minhas lembranças!
Dor, suporte  e referência.
Trazem de volta um passado
Remontado em versos e poesia...

 A infância da indiferença!

    Bjokas no coração!